Insanidades

Considero que o título já diga alguma coisa

domingo, julho 18, 2010

Postado por Cacau |

.
Não tenho a mais melódica das vozes, mas até que não desafino nas músicas de mil novecentos e bolinha. Estou disposta a aprender violão e acho simplesmente divino quem toca piano. Admiro a beleza e simplicidade das consagradas melodias de Chopin e Beethoven e me comovo com suas histórias pessoais. No entanto aprecio as notas que se pode tirar com uma simples gaita num posto de gasolina a caminho de uma cidade qualquer, as frases acrescentadas nos refrões de uma antiga balada na voz de um hippie no fundo do ônibus quando voltava da escola ou retardar minha volta para casa, e apreciar um fim de tarde no centro comercial da cidade, em pé e cansada vendo e ouvindo uma dupla local cantar seus mais famosos sucessos.
Já me disseram que tenho cara de roqueira, de 'regueira' e alguns só para me irritar de 'pagodeira'. Mas o que dizer se vou sem problemas a bailes de funk, adoro ouvir Martinho da Vila, Djavan está na lista dos melhores de minha lista, é impossível não cantar com Chiclete, Adoniran Barbosa e Demônios da Garoa fizeram parte da minha infância, sou louca pra ir num show de Armandinho, Cazuza e Raul são poetas vivos mesmo depois de mortos, Skank é concerteza minha melhor banda e o toque do meu celular é Party In The U.S.A. da Miley Cirus. E então eu tenho cara de quê agora?
Uma mistura de ritmos, sons, cantores, bandas, nomes. Mas todos eles traduzem a paz que encontro na música e o amor que por ela eu tenho. Posso não ter nenhum talento musical mas não consigo imaginar minha vida sem a música. Além de libertadora, encantadora, poética, ela me traduz, me contagia e me acalma.Faz com que eu pense com mais clareza ou com que eu esqueça tudo. Sou sua mera admiradora e sua refém cativa. Zé Ramalho faz parte de meus clássicos, 3 Doors Down é a banda autora de minha música predileta [Let Me Go], Genival Lacerda me encanta com suas músicas ambíguas e não há banda que me faça pular mais Naurêa.
A música em si é assim, nada pode definir o que ela é ou para onde vai. Pode-se prever quais bandas farão sucesso daqui há um mês ou menos, ou então quais as músicas estarão em disparada nas rádios pelo mundo afora. Aí é que está toda a sua magia escondida, em suas notas musicais melódicas ou não só dependem de quem ouve. Se é jazz, eletrônica, chorinho ou um bom samba de raiz, ou então em um bar qualquer ao som de Clavado En Un Bar , ou cantando a plenos pulmões em seu quarto A Dios Le Pido .
É essa lição que a música me deixa, não importa à qual tribo eu venha a pertencer ou qual título que vão me colocar. Enquanto eu continuar a apreciar ao meu modo tudo que ouço e aprecio, a mágica da música vai continuar viva dentro de mim.

cacau

19 comentários:

Rafa disse...

Curti o texto... o melhor é desencanar de pertencer a qualquer tribo e viver a "eclesticidade" (olha eu inventando neologismos. rs..)... vi no seu perfil q vc sonha cursar jornalismo, e esse tipo de postura angustiada enfrentando o paradoxal é muito nosso mesmo (digo nosso pq curso jornalismo e penso como vc nesse sentido)....

Valorize as tribos mas sobretudo o seu estilo e o q vc pode oferecer de diferente.. Já pensou uma menina q curte miley montanna apresentando um peça erudita com uma batida de violão pop rock??? impossivel?? sei lá.. rsrsrs

--------------

depois passa lá:
http://culturapoperudita.blogspot.com/

Bj

James Rocha disse...

Você escreve bem!
Mas pela falta de "estrofes" eu me perdi algumas vezes no texto, sugiro que tenta implantar isso nos próximos posts, é apenas uma dica, não leve a mal.

Christine Wengrzynek disse...

Adorei o teu texto, de verdade, é muito perfeito, realmente é muito bom escutar vários tipos de música sem se importar como vão rotular você .-.


Vou te seguir (se o google deixar, se não, prometo que salvo no favoritos, e tento depois *-*)


http://cgw-sonhoperdido.blogspot.com/

Daniel Silva disse...

adorei o post. curto muito 3 doors down e gostei do jeito que você linkou as coisas com os nomes de banda. música é tudo.

abraço

A princess of Bel-air disse...

Muito bom seu texto...bem eclética..admiro pessoas assim!!

se puder da uma passadinha no meu

http://herickajanine.blogspot.com

Talita Moretto disse...

Que lindo ler isso em uma hora dessas,confesso que fiquei muito feliz em estar em um blog onde a moçinha escuta as musicas onde seus pais escutaram*-*,continue nesse caminho e persista nisso que você vai longe viu?!

visite !
http://bolinhodevento.blogspot.com/

Lilian Borges disse...

Sabe, o mundo sem música ficaria chato. E concordo que todo mundo gosta de pelo menos um pouco de tudo, como você. Sinceramente, falo que não gosto de sertanejo.. Mas quem não sabe cantar um modão ou Luan Santana? HAHAHA E hm Toque algum instrumento; violão é lindo! (;

jaka disse...

isso ai, a musica é poesia viva e pulsante; Quanto ao seu comentário no blog o mesmo com quem julga livros pela capa...

deh ramos disse...

eu também adooooro música.. acho que nao saberia como viver sem ela. simpatizo da mesma forma quanto ao piano, é simplesmente divino. minhas bandas internacionais preferidas sao City and Colour; The Magic Numbers; Feist; Weezer. me encanta o rock nacional e algumas bandas de pop brasileiras (:

beijos, querida!

Indira disse...

Adorei!Eu também sou super eclética,e nunca gostei dessa história de ter que me encaixar em determinada tribo,ou ouvir apenas um tipo de coisa.A música é muito rica,tem muito a oferecer,então não há razão pra se limitar.
Blog lindo!
Sucesso

Beijobeijo

Indira

Sofia M. disse...

Que lindo o seu texto *-*
Também nao tenho muuuito talento musical..
Mas acho que ser bom em algo vai mais de esforço do que de talento.
Alguém sem talento mas com dedicação pode chegar a algum lugar.
Agora alguem com muito talento sem dedicação alguma não chega a lugar nenhum!

E realmente nao imagino uma vida sem musica!
beijoooes

Ley Cavalcante disse...

Aeee menina... Gostei adorei o blog e curti muito o post até pq me identifiquei bastante; Adoro Shaman e Taylor Swift; Chopin, Bach e Debussy e ao mesmo tempo Chiclete com banana... kkkkkkkkk só não dá pra curtir a "equinha pocotó" ou "rebolation" sorry
kkkkkkkkkkkkkk

Bjão

E obrigada pela visita, volta lá quando puder :)

Já salvei nos favoritos teu blog.

Marília S. disse...

Adorei seu blog, e me indentifiquei muito com você! Gosto desde aqueles bregas que minha mãe é fã, passando pelo funk, pelo reggae, pelo rock, até um bom axé, pagode...
Já estou te seguindo :)
Parabéns pelo blog.
Bjs

Ramos disse...

qual seria o significado da musica, senão o que estamos sentindo? ^^


Bjaum moça!

www.suportedamente.blogspot.com

Sarah disse...

É isso aew. Pra que ser rotulada com uma coisa?? Se você gosta, você gosta e pronto. O bom é viver sem fronteiras...
Beijos =*

Suzy Carvalho disse...

meninee piano eh tudo *-*

Laya disse...

nossa gostei muito dessa postagem, e a música da Miley Cyrus também é o toque do meu celular! :)
ah e você encontra a coleção de esmaltes da Penélope Charmosa em qualquer lugar que vende cosméticos!

bjs :*

Rê nata disse...

aaaaaaaaa Cacau,
estava morta de saudades dos teus textos!
Ando sem net :(
e assim.. eu também não sei o que seria da minha vida sem a música.
também sou eclética, mas meus ritmos preferidos são o rock e ampb *-*
mas, estando com os amigos.. vou pra qualquer balada ;)
saudadeees *--*
beijos, da duracell :**

Rê nata disse...

detalhe:o toque do meu celular é um rigtone do bob esponjaaaa *0*

Postar um comentário

Subscribe